marketing tradicional

Marketing tradicional e marketing digital: quais são suas diferenças?

O principal objetivo do marketing é atrair, converter e fidelizar clientes para as empresas. Com a evolução da tecnologia e popularização da internet, o marketing tradicional ganhou um aliado de peso: o marketing digital. Apesar de serem estratégias similares, cada uma é desenvolvida de uma forma.

No marketing tradicional são realizadas estratégias que envolvem os meios tradicionais de comunicação, como, por exemplo, a TV, o rádios e as revistas. É um trabalho complexo e que exige conhecimento de mercado e de público. Já o marketing digital chega ao consumidor por meio de conteúdo relevante na internet. Seu objetivo é fornecer informação, dicas e soluções a fim de destacar a marca em seu mercado de atuação. Quando os dois meios são utilizados juntos, eles podem apresentar resultados interessantes. Entretanto, vale ressaltar que os dois possuem as suas diferenças.

Continue lendo este artigo para saber mais sobre o assunto!

1. Segmentação do público

Propagandas em TVs, rádios e outdoors, por exemplo, são consumidos ao mesmo tempo por diversos tipos de pessoas. Dessa forma, no marketing tradicional, é necessário dedicar esforço em pesquisa e estudo de audiência.

O marketing digital, com base em sistemas de mensuração próprios, ajuda ainda mais a planejar os anúncios e divulgar conteúdo de acordo com o público de interesse da empresa. Ou seja, o marketing digital acaba sendo mais assertivo quando o assunto é público-alvo. Afinal, só serão atingidas pessoas que estão no seu filtro de interesses. Ferramentas como Google Analytics, Facebook Insights e outras permitem a seleção de um perfil desses consumidores.

2. Alcance das ações

O alcance das ações do marketing tradicional está ligado, por exemplo, a quantidade de assinantes ou número de espectadores dos veículos de comunicação. Dessa forma, ao se utilizar os veículos corretos, o alcance dessas ações acaba sendo muito grande.

No meio digital, as ações mesmo que direcionadas a um público, podem ser acessadas por um grande número de pessoas, já que é possível compartilhar o conteúdo em diferentes redes. Além disso, o material fica disponível online pelo tempo que se desejar, o que completa a estratégia de marketing.

3. Linguagem

Os dois modelos exigem linguagens específicas. O tom de um texto ou anúncio para um jornal impresso ou revista, por exemplo, não pode ser o mesmo de um post para a internet. Afinal, é direcionado a públicos com perfis diversos.

Conteúdo digital pede, geralmente, uma linguagem mais leve, objetiva, às vezes com um tom de humor e inovadora, por ser uma forma mais direta de comunicação com o público — que, na maioria das vezes, é altamente segmentado.

4. Investimento inicial

O custo para veicular propagandas em mídias tradicionais é bem mais alto que na web! Entretanto, dependendo do público-alvo, este investimento pode trazer resultados importantes. Pessoas da classe C, por exemplo, costumam consumir esses meios de comunicação.

Já no online, a flexibilidade é maior, pois, como os anúncios não dependem de fatores extras de produção, o valor pode ser mais baixo. Além disso, análises de métricas permitem calcular com precisão o valor dos recursos necessários para alcançar metas. Contudo, o sucesso da campanha depende do público com quem irá se relacionar.

5. Mensuração dos resultados

A análise do rendimento de uma ação online é bastante diferente do offline. No marketing tradicional, você consegue calcular a audiência de um comercial na TV ou rádio, assim como estimar a leitura de anúncio em um impresso pelo número de assinantes ou venda em banca.

Já o marketing digital utiliza ferramentas como o Google Analytics ou Facebook Insights para mostrar a quantidade de curtidas e compartilhamentos de uma publicação, o número de visualizações em um vídeo e o resultado de uma campanha de anúncios.

6. Relacionamento com o cliente

As pessoas, na internet, costumam interagir com as marcas: enviam suas opiniões, fazem análises e postam cobranças e elogios. E é necessário responder e se posicionar sobre cada uma dessas ações.

Já nos canais tradicionais de comunicação, não existem mecanismos próprios de relacionamento com seu público. Assim, em ações offline, é preciso contar com centrais de atendimento ao cliente para estabelecer um canal de contato com eles.

Veja todos os posts